NVDA - Software Livre - Leitor de Tela para Windows.

11/01/2008 - Cleverson Casarin Uliana.

Atenção!
Manual rápido do NVDA em PDF acessível.
Arquivo zipado com 664 KB - Inserido em 09/07/2014Site Externo.

Introdução.

Existem leitores de telas livres e gratuitos para o sistema Windows. Alternativos, portanto, aos leitores tradicionais e de custo alto. Estes, como qualquer tecnologia proprietária, causam freqüentemente dificuldades, quando não inviabilizam devido ao seu alto custo, a contratação de pessoas cegas por empresas que, naturalmente, preferem contratar funcionários que exijam os menores custos possíveis para desempenharem suas funções. Tais empresas não adotariam sistemas operacionais e tecnologias livres unicamente por causa da necessidade ou preferência de poucos funcionários.

Vamos agora apresentar uma solução promissora nesse ramo: o leitor de telas NVDA, sigla em Inglês para "Acesso Não-Visual ao Ambiente de Trabalho".

Faremos uma introdução descrevendo brevemente o que é, como surgiu, os objetivos do NVDA e, ao final, mostraremos rapidamente como instalar o programa.

Essa introdução é indispensável para situar o leitor no contexto, no funcionamento do projeto e facilitar o entendimento das coisas adiante.

Faremos aqui menções a vários sistemas, softwares e organizações na Internet. Para saber os endereços das mesmas, consulte, por gentileza, as referências ao final deste artigo.

História: Como Surgiu o NVDA?

O NVDA foi iniciado em meados de 2006, pelo jovem australiano Michael Curran, de apelido Mick (pronuncia-se maik). Mick então cursava o segundo ano de bacharelado em Ciência da Computação, mas muito tempo antes ele já percebera as distorções e mazelas que cerceiam o acesso das pessoas cegas, mais especificamente no campo tecnológico.

Sendo ele cego, foi obrigado a comprar um leitor de tela comercial para uso pessoal, profissional e estudantil. Apesar de esse leitor proporcionar acesso relativamente ótimo aos computadores que Mick precisaria usar, com o passar do tempo e convívio com pessoas em situação semelhante mundo afora, pelo menos três problemas ficaram claros para ele:

  1. o alto custo financeiro desses produtos impõe sérias restrições a muitas pessoas, de maneira calamitosa, nas nações menos afortunadas do planeta.
  2. Questão de ordem técnica, diz respeito ao condicionamento dos usuários cegos às políticas e idéias das empresas específicas que desenvolvem o software assistivo. Por mais excelentes que sejam as soluções encontradas por um determinado fabricante de software, cada pessoa em particular, como usuária e também consumidora, sempre ficará insatisfeita com algum detalhe, isso porque essas soluções geralmente são designadas para atender a todos de modo genérico e não específico. Como a licença desses softwares é quase sempre restritiva, torna-se impossível a cada usuário ou grupo de usuários adaptar o software em questão àquela necessidade em específico.
  3. Finalmente, o principal problema envolve aspectos morais e éticos. No caso que estamos tratando, não é justo que as pessoas cegas tenham de providenciar sozinhas os meios necessários e arcar por si só com os custos das soluções assistivas, para dispor de acesso às mesmas informações que as demais pessoas dispõe proporcionadas pela tecnologia. Sabendo disso, muitos optam por adquirir cópias ilegais desses softwares, o que, por um lado ameniza os gastos financeiros, mas de outro mantém a sujeição desses usuários às políticas do fabricante daquele software, além de ferir a licença outorgada por esse fabricante.

Objetivos e Princípios do NVDA.

Em razão de tudo isso, Mick resolveu abandonar por completo a faculdade de Ciência da Computação e dedicar-se a um projeto capaz de solucionar esses e outros problemas de quem necessita trabalhar em sistemas Windows, que são dominantes entre os sistemas proprietários atuais.

Para atingir esse objetivo, Mick decidiu iniciar o desenvolvimento de um leitor de telas para Windows, estabelecendo alguns princípios básicos a serem seguidos:

  • O leitor deve ser gratuito, com o fim de facilitar a disponibilidade do mesmo e o acesso de qualquer pessoa aos mesmos sistemas dos demais leitores de tela sem custos adicionais e exorbitantes;
  • O leitor deve ser licenciado de modo a que qualquer pessoa capaz do mundo possa contribuir para a melhoria e aperfeiçoamento deste, como adaptá-lo a necessidades específicas e redistribuí-lo se for o caso.
  • O leitor deve sempre permanecer aberto a novas idéias, sugestões e experimentos provindos de todas as partes do mundo, a fim de não limitar-se ao que já foi tentado nos produtos comerciais similares.
  • O leitor deve, na medida do possível, seguir um "design" de fácil entendimento para programadores iniciantes, sem deixar de oferecer uma arquitetura poderosa e flexível ao máximo, que permita melhorar e implementar mais recursos e portar o programa para outros dispositivos e sistemas proprietários, quando for o caso.

Mick chamou, então, esse leitor de "Non Visual Desktop Access" ou NVDA, e escolheu como licença a largamente reconhecida e consagrada GPL (sigla em Inglês para "LICENÇA PÚBLICA GERAL GNU"), de autoria da Fundação para o Software Livre e adotada pelos sistemas GNU/Linux e outros.

Como linguagem de programação ele escolheu a Python, uma linguagem de fácil aprendizado e ao mesmo tempo riquíssima em recursos, usada inclusive internacionalmente por muitos professores universitários para introduzir estudantes de ciência da Computação ao universo da programação de computadores.

Consequências das Iniciativas Adotadas.

Por fim, Mick e alguns conhecidos fundaram recentemente a NV Access (acesso não visual), organização não-governamental sem fins lucrativos, destinada a desenvolver projetos e tecnologias livres que facilitem a acessibilidade para pessoas cegas e de baixa visão.

Como resultado dessa postura comunitária e cooperativa do autor e dos amigos mais próximos que o ajudaram no começo, após seis meses desde o início do projeto e divulgação do mesmo, o NVDA já contava com um pequeno time compromissado de desenvolvedores e as primeiras traduções para outros idiomas começavam a surgir.

Hoje faz cerca de um ano que Mick tomou a iniciativa e a popularidade do projeto surpreende a cada dia, crescendo como que em progressão geométrica. Já existe tradução para Português do Brasil. As qualidades técnicas de performance, estabilidade e o grau proporcionado de acessibilidade melhoram notoriamente a cada nova revisão lançada.

Como Conhecer e Instalar o NVDA.

Aqueles que necessitem de uma solução aos moldes do NVDA, ou simplesmente querem experimentar, podem instalá-lo em poucos passos:

  1. Acessem esta página: www.nvda-project.org/snapshots. Site Externo.. Aí encontra-se a versão mais recente do programa. Recomenda-se sempre instalar uma versão nova, porque ela, geralmente, é mais estável e possui mais recursos que as anteriores.
  2. Não se assuste caso não souber ler em Inglês; acesse o primeiro link da página que se chama "installer", para baixar um instalador automático do NVDA. Essa forma de instalar é ideal para quem não tem ou não sabe se tem um descompactador de arquivos no sistema, ou quer garantir que os arquivos sejam colocados nos lugares exatos.
  3. Salve o arquivo em uma pasta qualquer, vá até ela, execute o arquivo, responda a qualquer pergunta se realmente deseja executá-lo e a instalação começará.

A outra forma de instalar é o segundo link da página acima informada, chamado "zip archive" que baixa um arquivo compactado. Ele é ideal se você prefere escolher com mais segurança a pasta onde quer instalar o programa e deseja fazê-lo de modo mais transparente:

  1. Salve o arquivo e descompacte-o numa pasta vazia. sugerimos C:\nvda, mas pode ser outra qualquer.
  2. Desligue o seu leitor de telas, caso esteja usando algum e execute o arquivo nvda.exe, pressionando enter ou clicando, a depender do seu caso;
  3. O NVDA toca então algumas notas musicais, começa a falar fazendo algumas perguntas. Basta ir dando continuidade pressionando enter até o final da instalação;
  4. Ao final ele mostra uma janela contendo informações básicas para quem nunca trabalhou com ele. Use as setas para ler.

A voz padrão é o sintetizador Espeak. Você pode trocar de idioma teclando o comando CONTROL+SHIFT+V. Pode escolher também outro sintetizador teclando CONTROL+SHIFT+S.

Referências.

Explicaremos posteriormente o muito mais que se pode fazer com o NVDA, esse leitor fantástico que tantos problemas nos vai resolver. Por ora, você pode ler os documentos referenciados nesse artigo e que são bastante explicativos: