Conteúdo principal | Últimos 20 posts | Posts por assunto | Bengala Legal

Blog do Bengala Legal.

Rio de Janeiro, sexta-feira, 30 de setembro de 2016 - 01:22.

 

Conteúdo principal.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009.

Abertura da 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul.

Em nome da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, escrevo para convidá-los a participar da abertura nacional da 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que ocorrerá no próximo dia 05 de outubro, a partir das 20h30, no CineSesc Rua Augusta. O evento será precedido por um coquetel, após o qual será exibido o filme argentino “Unidade 25”, que coloca em perspectiva os direitos humanos da população carcerária e o tema de diversidade religiosa. O evento contará com a participação do Ministro Paulo Vannuchi, de diretor do referido filme, do curador da Mostra e dos demais parceiros, além do público em geral.

Importante notar, a abertura da Mostra em São Paulo contará com o recurso da audiodescrição. A sala é acessível para cadeirantes e o filme é exibido com closed captions, de modo que pode ser acompanhado por pessoas com deficiência auditiva.

A abertura do dia 5 de outubro, assim como toda a Mostra (que ficará em cartaz em São Paulo até o dia 11 de outubro), é aberto ao público, e as sessões são todas gratuitas. Assim, fique à vontade para estender esse convite a pessoas do seu convívio!

Abertura: DIA 5 DE OUTUBRO DE 2009, SEGUNDA-FEIRA, ÀS 20:30H.

A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, Cinemateca Brasileira, SESC – Serviço Social do Comércio e Petrobras convidam para a sessão de abertura da 4a Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, com exibição de:

  • UNIDAD 25 de Alejo Hoijman (Argentina/ Espanha, 94 min, 2008) e
  • COCAIS, A CIDADE REINVENTADA de Inês Cardoso (Brasil, 15 min, 2008).

CineSESC – Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César – São Paulo
(11) 3087-0500 – 329 lugares

Convite válido para duas pessoas; sujeito à lotação da sala
Retirada de ingressos uma hora antes da sessão

Para maiores informações sobre a 4ª Mostra, é favor consultar nosso website oficial (que também é acessível):
www.cinedireitoshumanos.org.brSite Externo.

Muito agradeceria contar com sua presença, e solicitamos a gentileza de confirmá-la , por meio deste endereço eletrônico ou pelo telefone 61 2025 3595.
Mariana Bertol Carpanezzi
Coordenadora – 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul.

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009.

MPF/RN Quer Garantir Reserva de Vagas a Pessoas com Deficiência em Concurso da PF

Ministério Público Federal.

Os editais para os cargos de agente e escrivão da Polícia Federal não possuem qualquer dispositivo referente à reserva exigida por lei. A ação foi encaminhada em caráter de urgência, pois as inscrições se encerram na terça-feira, 18 de agosto.

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) ajuizou hoje, 14 de agosto, junto à Justiça Federal, ação civil pública contra a União. O objetivo é garantir reserva de vagas, de 5%, para as pessoas com deficiência que desejam se candidatar aos cargos de agente e escrivão da Polícia Federal, assim como para concursos futuros.

De acordo com a procuradora regional dos Direitos do Cidadão no RN, Caroline Maciel da Costa, os Editais nº 14/2009 e nº 15/2009, publicados no Diário Oficial da União, não possuem qualquer dispositivo referente à reserva exigida por lei.

“A lei é clara e inequívoca. A proteção legal dada às pessoas com deficiência é explicita e se baseia na garantia da inclusão social e do tratamento isonômico que deve ser dado a esse grupo de pessoas”, enfatiza a procuradora.

A ação argumenta, ainda, que parcela expressiva das atividades desenvolvidas pela polícia é de caráter intelectual, interno e administrativo, sobretudo para o cargo de escrivão, podendo, portanto, ser exercida por pessoas com deficiência.

Para o MPF/RN, é cada vez mais comum investigações de crimes praticados via internet, crimes financeiros ou ainda de colarinho branco, hipóteses que não exigiriam necessariamente força física.

“As qualificações que são exigidas, no caso, são estritamente de caráter técnico, quais sejam, conhecimentos da área de informática e tecnologia, perfeitamente desempenháveis por uma pessoa com deficiência de locomoção, por exemplo”, explica Caroline Maciel.

O pedido do MPF/RN ainda inclui a possibilidade de se adaptar a prova de avaliação física e prática para os candidatos que assim necessitarem. Para tanto, o edital deve designar uma equipe de multiprofissionais, entre os quais deve constar médicos especialistas.

A Ação Civil Pública nº 2009.84.00.006823-2 foi ajuizada em caráter de urgência, tendo em vista que as inscrições se encerram na terça-feira, 18 de agosto.

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Arquivado em: Notícias.
Assuntos:  , , , .
MAQ às 22:45.
Post visitado 15760 vezes, 1 foram hoje.

terça-feira, 25 de agosto de 2009.

Chat do dia 23/08/2009 – Programa Assim Vivemos – O Envelhecimento da Pessoa com Deficiência.

Programa Assim Vivemos.
TV Brasil – 23/agosto/2009.
Chat – complemento do programa – 19 horas.
Entrevistada: Fabíola Cintra Campillo.
Entrevistador: Marco Antonio de Queiroz – MAQ.

MAQ: Boa noite. Como em todas as semanas vamos começar nosso chat com uma entrevista e, logo após, vamos abrir o chat para que todos possam se expressar ou mesmo perguntar algo à nossa entrevistada.
.Nirce Entra na conversação.

MAQ: Nossa entrevistada de hoje é Fabíola Campillo, fisioterapeuta, especialista em tecnologias assistivas, idealizadora e membro do trabalho de pesquisa “O Envelhecimento das Pessoas com Deficiência” e membro do CVI AN. Boa noite Fabíola!

Fabíola. Boa noite MAQ. Boa noite a todos.
.Lucio Entra na conversação.
.Fernanda Entra na conversação.
.Nancy Entra na conversação.

MAQ: Fabíola, poderia nos dizer sobre seu trabalho de pesquisa sobre o envelhecimento das pessoas com deficiência? Porque você o idealizou e como vai seu desenvolvimento?
Fabíola. O trabalho foi idealizado em 2007 por mim e minha amiga e parceira de trabalho, Naira Rodrigues, durante um curso de formação de CIF, onde uma palestrante falava sobre envelhecimento populacional e percebemos que as pessoas com deficiência não entravam neste estudo. A partir daí iniciamos o projeto que é realizado pelo CVI/AN em parceria com mais 3 organizações, a “Mais Diferenças”, “Ciape” e “CBCD” com o financiamento da SEDH/CORDE. Acabamos de concluir a primeira fase que foi o desenvolvimento da metodologia e estamos trabalhando na 2a. fase que é a replicação do instrumento.
.Flavia Entra na conversação.

MAQ: Fabíola, nosso filme “Masters” é sobre o envelhecimento de pessoas, entre as quais uma pessoa com deficiência que adquiriu deficiência há pouco tempo. A pesquisa trata também dessa situação?
.Jean Entra na conversação.
Fabíola. Sim, nossa pesquisa visa entender como essas pessoas estão vivendo e identificar as barreiras e facilitadores que elas têm na sua vida diaria, além disso, observamos a interação das pessoas com a sociedade e o meio em que vivem. Em cima destas informações detectamos o porquê aumetou ou dimunuiu sua participação na sociedade e o filme mostra justamente isso, que uma pessoa mesmo se tornando deficiente nesta fase da vida, pode vivê-la de forma plena se estiver inserida num contexto social que seja facilitador e que permita que ela possa experimentar e vivenciar aquilo que lhe da prazer, utilizando a tecnologia e o apoio de seus colegas e familiares.

MAQ: Fabíola, existe associação direta entre envelhecimento e deficiência?
.Mateus Entra na conversação.
Fabíola. Sim, observamos em nosso estudo que o maior número de pessoas com deficiência aqui do município de São Paulo estão na faixa etária de 55 anos ou mais e percebemos que o envelhecimento vem muitas vezes associado à condições de saúde que podem muitas vezes levar a uma deficiência. Pra se ter uma idéia, 48% da população de São Paulo, na faixa etária de 55 anos é composta por pessoas com deficiência.
.Costa Entra na conversação.
.Fernanda Entra na conversação.

MAQ: Fabíola, como ficam as pessoas com deficiência idosas e dependentes que perdem seus parentes ou que são abandonadas por eles?
Fabíola. Esta é uma das principais questões e angustias que nossa equipe encontrou durante a aplicação do instrumento da pesquisa. Na grande maioria, a principal preocupação destas pessoas é como vão dar conta de viverem sem seus familiares, que também muitas vezes não abandonaram, mas se tornaram pessoas idosas e dependentes também. Muitas pessoas com deficiência acabam tendo que se virar sozinhas, além de cuidar destas outras pessoas. As pessoas com deficiência intelectual e seus familiares vivem esse medo diário de não saber o que fazer ou quem vai cuidar quando esses pais se forem. Esse é um dos principais problemas enfrentados atualmente pelas pessoas que estão envelhecendo. Hoje o que acontece é que muitas vezes estas pessoas acabam indo para abrigos públicos, mas já existem coisas bacanas acontecendo como as residências inclusivas, que parece ser uma boa opção.

MAQ: Fabíola, essa entrevista é para a apresentação do tema e de uma pessoa que entenda do assunto. Envelhecimento é um tema bastante instigante e com questões muito difíceis. Obrigado, suas colocações foram muito interessantes. Agora iremos abrir o chat para as perguntas dos participantes.
Fabíola. Eu sou quem agradece a oportunidade de participar e poder dividir com vocês esse interesse.
*.Sala E aberta (por Jean).

MAQ: Todos que quiserem fazer perguntas sobre o envelhecimento das pessoas com deficiência, podem ficar à vontade.
MAQ: Fabíola, me impressionou o percentual de 48% da população paulista acima de 55 anos ter deficiência. Pode nos dizer qual percentual é esse com relação à população total?
.Elizabet Entra na conversação.
Fabíola. MAQ, não tenho estes dados aqui comigo agora, Porém são dados do IBGE para o município de São Paulo, lembro-me que o panorama nacional não é tão diferente assim. Quando pegamos faixas etarias maiores que 55 anos no IBGE, este percentual aumenta ainda mais.

MAQ: isso significa que existe, realmente, uma associação direta entre envelhecimento das pessoas e deficiência. Será por isso que o censo de 2000 nos mostrou 24 milhões de pessoas com deficiência no Brasil?
Fabíola. Temos que lembrar que nestes números do IBGE, as pessoas se declararam com deficiência e nestas estão incluídas também as pessoas com mobilidade reduzida. Mas mesmo assim o número é muito grande.

Fabio. Fabíola, não sei se já foi pesquisado, mas qual é a categoria de deficiência com maior presença entre as pessoas com mais de 55 anos?
Flavia. Os cegos sempre tiveram maior sobrevida.
Jean: A, que bom saber disso, Flávia.
Jean: rs..
MAQ: até para morrer nós cegos somos ruins!
MAQ: ahaahha.
Fabio. ahahhahahhahaaa.
Fabíola. Pessoas com deficiência visual têm maior prevalência, porém temos observado na pesquisa o aumento de deficiências múltiplas, pois pessoas que já possuiam uma deficiência, com o envelhecimento acabam adquirindo outras. Mas estes dados precisam ser melhor estudados, por isso a importância desta pesquisa.
MAQ: concordo… essa pesquisa é super importante!
Fabio. É sim.
Fabíola. Pouco se sabe sobre o processo de envelhecimento das pessoas com deficiência. Esta pesquisa visa levantar estes dados para subsidiar políticas públicas para garantia de direitos e melhoria da qualidade de vida desta população, que está aumentando e precisa ser conhecida por todos nós.

Flavia. Na pesquisa vocês contemplaram a deficiência intelectual?
Fabíola. Sim Flávia, a pesquisa contempla as cinco categorias de deficiência estabelecidas na legislação brasileira: física, visual, intelectual, auditiva e múltipla.

MAQ: Outro detalhe do que nos disse, Fabíola, sobre o envelhecimento, pessoas com deficiência idosas e dependentes, é que elas aprendem a se virar e, por vezes, acabam até cuidando de quem eram seus cuidadores… mas existem aquelas que não têm mesmo como se virar, que não é questão de tentarem, é que não conseguem mesmo!
MAQ: o que pode-se fazer também é estimular tanto o empoderamento quanto a autonomia das pessoas com deficiência. Muitas são dependentes psicológicas e culturais… a sociedade julga que são dependentes e as trata como dependentes e elas acabam assumindo essa dependência que, na verdade, pode ser muito menor.
Fabíola. MAQ, antes da sociedade, a questão de achar que são dependentes muitas vezes começa na família e nos cuidadores. Observamos durante a pesquisa que muitas vezes os cuidadores se caracterizam mais como uma barreira, devido à relação que é estabelecida, do que como facilitadores.
MAQ: Sim, começa na própria pessoa com deficiência, que não se sente capaz de gerir sua própria vida e não tenta ultrapassar seus temores…
Fabíola. Muitas vezes os cuidadores acabam achando que estão fazendo o melhor. Mas acabam decidindo pela pessoa, escolhendo por ela e assim por diante, se esquecendo muitas vezes de perguntar o que a pessoa quer de verdade.
MAQ: mas por vezes não é nem maldade. Conheço familiares desenformados que não dão liberdade a seus entes com deficiência, inibindo iniciativas, por preocupação, por amor mesmo!
Fabíola. Concordo com você MAQ, não acho que seja por maldade, mas é uma questão que precisa ser trabalhada para poder dar autonomia às pessoas.

Flavia. Vocês tiveram dificuldade em encontrar esta população com deficiência intelectual? Recorreram à alguma instituição?
Fabíola. Não, não tivemos dificuldade, estabelecemos parcerias com diversas organizações de e para pessoas com deficiência do município.
Flavia. Perguntei errado. Estas pessoas estavam institucionalizadas?
Fabíola. Institucionalizadas (internas?). Não, elas frequentam instituições, mas moram com suas famílias e muitas vezes até sozinhas.
Flavia. Quando esta pesquisa, de vital importância, será disponibilizada para todos?
Fabíola. Neste momento acabamos de entregar o instrumento para a SEDH/CORDE e estamos trabalhando na segunda fase. Pois a primeira fase o instrumento foi aplicado somente em 31 sujeitos para validação. Agora nesta fase que estamos trabalhando ele será aplicado em 310 sujeitos do municipio, além de de estarmos trabalhando para replicá-lo em outros municípios em diversos estados do país.
Flavia. Porque não criam um site para podermos acompanhar a pesquisa e seus resultados?
Fabíola. Assim que estivermos com os resultados desta segunda fase, iremos divulgar com certeza.
MAQ: Fabíola, quando quiserem, a Bengala Legal estará a disposição da pesquisa e de qualquer texto que queiram divulgar.
Fabíola. Obrigada e pode ter certeza que iremos mandar.

MAQ: Fábio, quando me lembro de você, seus medos e seu fechamento em Ourinhos… e agora, você é um homem, uma pessoa do mundo… fazendo faculdade, trabalhando, concursado… tenho o maior orgulho de ter sido um estímulo… apenas com palavras e por e-mail!
*.Usuário Fabio é conhecido como Diniz (obs.: Troca de nome permitida pelo chat.)
Diniz. Você foi muito mais que um estímulo MAQ. Foi a via para que eu pudesse descobrir que a vida que tenho hoje era perfeitamente possível e viável.
MAQ: Tudo vale a pena, Diniz, quando o desejo e a imaginação, o esforço e a coragem podem ser aproveitados. Você me emociona com teu exemplo de vida e bendito a hora, o momento, que te escrevi estimulando à mudança.
Flavia. Mas tem gente que faz de sua deficiência sua profissão e isto é terrível.

Lucio. Boa noite MAQ, Fabíola.. Eu estou tentando fazer uma pergunta mas o meu filho não está deixando….
Diniz. Oi Lúcio! boa noite!
Fabíola. Boa noite Lucio
MAQ: Boa noite Lúcio, pode perguntar!
Lucio. Ele quer tc junto comigo.. Mas tem só 2 anos e meio.. ehehe.
MAQ: Bem, percebe-se que Rodrigo não será um sujeito muito acomodado!
Lucio. Queria perguntar uma coisa só.. Nem sei se é bem uma pergunta, ou uma impressão que tenho sobre o envelhecimento de um modo geral…
Lucio. É difícil MAQ, o Rodrigo continua no meu colo…
MAQ: rodrigo, deixa o papai perguntar! ahahah.
Lucio. Acho que agora vai… Ô peste!
MAQ: Lúcio, você não está preocupado com o envelhecimento do Rodrigo, não, né?
Diniz. Hahahaaa.
Fabíola. rrsss….
Jean: eeeita MAQ!
Lucio. Um pouco sim, a SD costuma associar envelhecimento precoce de verdade…
Fabíola. É verdade.
MAQ: SD = Síndrome de Down.
Lucio. As placas amilóides são visíveis aos 10 anos de idade, na população normal é só depois dos 40.
MAQ: Sim, mas quando é o envelhecimento precoce da SD?
Fabíola. Aliás, não sei se você conhece, mas existe um grupo de estudos que está fazendo justamente pesquisas relacionadas ao envelhecimento precoce das pessoas com deficiência intelectual.
MAQ: Desculpe minha ignorância quanto à brincadeira anterior, Lúcio, mas, mesmo assim, não é cedo para você pensar nisso para o Rodrigo?
Lucio. Há medidas nutricionais antioxidantes importantes pra retardar esse processo. Mas minha questão não é sobre SD.
Fabíola. Pode perguntar.
Lucio. Entendo que a sociedade percebe o idoso como uma pessoa com deficiência… Um desajustado.
Lucio. Às vezes ficamos pensando em vitaminar os idosos e esquecemos de perceber o quanto o contexto social está focado em isolá-lo.
Lucio. Além disso, o idoso apresenta muitas deficiências físicas com o tempo.. Auditiva, visual, sensorial e até mesmo intelectual…
MAQ: Lúcio, a sociedade tem no idoso alguém diferente de si mesma, discrimina a não ser que seja seu pai ou mãe… ou até pai e mãe!
Lucio. Mas isso é coisa recente, MAQ… Até bem pouco não havia essa onda de terceira idade.
MAQ: Recente?
Lucio. Só restavam o tricô para a vovó e o xadrez para o vovô.
Fabíola. Mas que bom que hoje existe essa preocupação com a 3a. idade, até porque a tendência é que em pouco tempo tenhamos mais idosos do que jóvens.
Lucio. Isso. O que eu queria saber é como você entende o lugar do idoso e se os avanços na sociabilidade deles pode ser replicado em outros setores e grupos.
MAQ: Eu percebo as questões da terceira idade semelhantes às das pessoas com deficiência, vai muito pela quebra de mitos, por lutarem por suas idéias e colocação na sociedade. No entanto, a questão das pessoas com deficiência idosas junta tudo isso e mais a sobrevivência, uma luta pela dignidade.
Fabíola. Isso está aos poucos mudando, até em função deste aumento populacional de pessoas nesta faixa etária, que se deve ao aumento da expectativa de vida. Muitas coisas ainda precisam ser vistas e revistas, principalmente quando falamos de pessoas idosas com deficiência.
Flavia. Lucio, a busca da dignidade é para todos, por isso a importância da união dos movimentos.
Fabíola. É isso aí Flavia.
Lucio. Concordo tb Flavia
Fabíola. O grande erro que muitos cometem é achar que o idoso não tem mais poder de decisão e acabam tomando para si todas as responsabilidades e atividades que a pessoa idosa tinha. Com isso nós só conseguimos causar neste idoso um sentimento de inútil, incapaz e daí começam a maioria dos problemas.

MAQ: Bem, o filme de hoje do programa Assim Vivemos era o “Masters”, que mostra que as pessoas com deficiência tem de ter empoderamento e que decidem por suas vidas…
a filha da mulher dizia que ela não podia pegar skate, e ela dizia que pegava e pronto… aparece ela com uma perna-de-pau, andando no jardim com 78 anos de idade.
Diniz. adoro esses desafios… “você não pode fazer isso”. Pode ser que eu não possa mesmo, mas vou lá e faço. ainda preciso amadurecer nisso.
Lucio. Diniz, você não pode fazer isso!!!!
Diniz. Sim Lúcio, eu posso! :)
Flavia. Minha nãe é meio assim, tem 84 anos e não permite que nenhum de seus filhos escolha o que é melhor para ela.

MAQ: Gente, nossa entrevistada, Fabíola Campillo, está com seu tempo esgotado. Quero agradecer sua presença, dizer que foi maravilhosa sua entrevista e que todos ficaremos na espectativa do término e divulgação da pesquisa sobre o envelhecimento das pessoas com deficiência que, com certeza, irá nos enriquecer muito!
Fabíola. Pessoal, infelizmente terei que sair agora. Gostaria de me colocar à disposição para esclarecer qualquer dúvida, o MAQ tem meus contatos.
Diniz. Obrigado Fabíola.
Flavia. Obrigada Fabíola, adorei sua entrevista!
Lucio. Obrigado Fabíola.. Desculpe minhas interferências, na verdade era o Rodrigo digitando hehehe
Diniz. ahahahhahahaa. O Lúcio é hilário.
Lucio. Boa noite pessoal…
Fernando: boa noite Lucio, e até o próximo chat.
Diniz. Valeu Lúcio, boa semana.
Flavia. Boa noite Lúcio!
Lucio. Tchau MAQ, Bom início de semana a todos!!
MAQ: Boa noite Lúcio, Flávia, Elizabet, todos… Costa!!! Hoje foi muito boa nossa conversa…
.Lucio Sai da conversação
.Flavia Sai da conversação
.Elizabet Sai da conversação
MAQ: Boa noite Diniz, Fernando, Fernanda, Jean, Walki… que bom que todos vocês estão participando conosco.
MAQ: Boa noite Diniz, em especial também para o seu sósia, o Fábio!
MAQ: Boa noite a todos e muito obrigado.

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Arquivado em: Entrevistas.
Assuntos:  , , , , , , , , .
MAQ às 12:31.
Post visitado 21839 vezes, 1 foram hoje.
« Posts mais novosPróximos Posts »

Últimos 20 posts publicados.

Saltar resumo e ir para "ESCOLHA POR ASSUNTO".

Projeto “Emoti Sounds” é plug-in que permite que deficientes visuais tenham uma experiência emotiva na leitura dos emoticons O Festival Internacional de Criatividade de Cannes divulga o seu primeiro shortlist. O projeto “Emoti Sounds”, da Artplan para Tim Live, é o único brasileiro entre os 39 selecionados pelo júri de Innovation Lions e concorre na […]

 

Descrição da imagem: Cena do documentário “Boa Noite, Solidão”: Geneton Moraes Neto entrevista o sertanejo Ginaldo José da Silva. O documentário será transmitido pela GloboNews neste sábado. O documentário “Boa noite, Solidão” será exibido pela GloboNews neste sábado, dia 16, às 21h05 e será o primeiro programa da emissora a contar com o recurso da […]

 

Tecnologia está sendo desenvolvida em Criciúma, no Sul de Santa Catarina. Elisabete Barbosa é uma das primeiras pessoas a fazer uso do Via Voz (Foto: Globo). Imagine um GPS dentro de uma biblioteca. Em vez de ruas, ele mostra os caminhos entre as prateleiras. Parece coisa do futuro, mas essa tecnologia já existe e serve […]

 

Há mais de 20 anos que a fundação beneficente “Livros Ilustrados para Crianças Cegas” publica e oferece livros com páginas musicais a crianças com deficiência visual. Entre as obras estão contos tradicionais russos e estrangeiros. Foto: Fundação de beneficência “Livros Ilustrados para Crianças Cegas Pequenas”. “Os nossos livros ajudam a criar situações em que uma […]

 

O tradutor Libras em Software Livre (VLibras) versão mobile já está disponível para ser baixado e vai ampliar o acesso das pessoas com deficiência auditiva aos meios digitais. O conjunto de aplicativos faz a tradução de conteúdos digitais (texto, áudio e vídeo) para Libras, a Linguagem Brasileira de Sinais. Os softwares desenvolvidos pelo Ministério do […]

 

A área de negócios sociais Soluções em Acessibilidade, da Fundação Dorina Nowill para Cegos, lança com exclusividade o aplicativo AudiFoto. A novidade é mais uma tecnologia direcionada às empresas que desejam participar da inclusão de pessoas com deficiência em museus, exposições e locais em que as imagens são peças fundamentais para a experiência dos visitantes. […]

 

Em São Paulo, no Centro Cultural Banco do Brasil Desde 2003, o Assim Vivemos tem sua programação totalmente acessível para pessoas com deficiência visual e auditiva. Audiodescrição e legendas em português (LSE) em todas as sessões, catálogo em Braille e Interpretação em LIBRAS nos debates. No CCBB, todos os ambientes têm acesso para pessoas com […]

 

“Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência” chega a sua 7ª edição em 2015 no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (de 5 a 17 de agosto), de São Paulo (23 de setembro a 5 de outubro) e de Brasília (de 2 a 14 de março de 2016), trazendo 33 […]

 

Neste sábado, 01 de agosto, estreia mais uma peça da Oficina dos Menestréis. O trabalho deles é maravilhoso e super alto astral. Recomendo. O elenco é inclusivo: Atores e atrizes com e sem deficiência. Com audiodescrição no dia 09 e Libras no dia 16. Sobre a peça: Aldeia dos Ventos é um musical de Oswaldo […]

 

Para grande parte da população a tecnologia facilita. Para pessoas com deficiência visual a tecnologia possibilita. O projeto F123 é um software inovador, de baixo custo e alta eficiência, que possibilita o acesso à educação e à informação, favorecendo oportunidades de trabalho e a utilização de tecnologias por pessoas com deficiência visual. O F123 permite […]

 

A Fundação Dorina Nowill para Cegos tem uma nova versão para o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa em formato digital acessível Daisy – Digital Accessible Information System. O Instituto Helena Florisbal foi o parceiro para a viabilização deste projeto, que conta com a produção e disponibilização de cinco mil dicionários em português com as novas […]

 

Dança no MIS e Unlimited apresentam: MARC BREW, bailarino e coreógrafo da Escócia, na performance REMEMBER WHEN e uma residência (processo criativo aberto ao público) junto à bailarina brasileira Gisele Calazans. As atividades fazem parte do programa mensal: Dança no MIS, com curadoria de Natalia Mallo, que convida coreógrafos a escolher uma área do Museu […]

 

A ANCINE colocou em Consulta Pública, até o dia 08 de julho, Notícia Regulatória e Relatório de Análise de Impacto – AIR que discutem a implementação de ações para regulamentar a promoção da acessibilidade em salas de cinema, com disponibilização de recursos de legendagem descritiva, LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais e audiodescrição que possibilitem […]

 

Está chegando ao fim o curso de Especialização em Audiodescrição promovido pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD). Em iniciativa inédita, foi possível viabilizar o primeiro curso sobre esta temática a nível de especialização no Brasil, com o principal […]

 

MARIA LUÍSA BARSANELLI. De SÃO PAULO. Em um cantinho ao lado do palco, Rafaella Sessenta, 32, alonga braços e pernas. Posiciona-se frente a uma câmera e aguarda a largada: o início de um show em tributo a Michael Jackson, realizado no domingo (31/5) em São Paulo. Rafaella é tradutora de libras (Língua Brasileira de Sinais) […]

 

O curso de Especialização em Audiodescrição promovido pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), abrirá uma segunda turma ainda este ano. Estão previstas 100 vagas a partir do segundo semestre. O curso tem o objetivo de capacitar profissionais para promover a […]

 

A AFB (American Foundation for the Blind, ou Fundação Americana para Cegos) anunciou nesta semana os nomes dos quatro homenageados que receberão o prestigioso prêmio Helen Keller na noite do dia 18 de junho, em Nova York (Estados Unidos). Estamos homenageando as realizações de indivíduos e empresas pelo sucesso na melhoria da qualidade de vida […]

 

Estão abertas as inscrições para o 7º Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes Sobre Deficiência. Ficha de inscrição e regulamento, acesse: www.assimvivemos.com.br Em 2015, o Festival Assim Vivemos chega à sua 7ª edição. É com enorme alegria que iniciamos mais uma busca pelos melhores filmes produzidos no mundo sobre o tema da pessoa com […]

 

A diretora da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do TRT5 (Setic), Cláudia Jorge, participou da primeira reunião da Comissão Permanente de Acessibilidade do sistema Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) em 2015, na última terça-feira (14/4). A comissão tem como objetivo principal propor medidas para facilitar o acesso de pessoas com […]

 

É hora de deixar de observar apenas a obrigação legal da contratação de pessoas com deficiência física e analisar os ganhos econômicos e sociais da inclusão Silvia Torikachvili. Observando os exemplos mencionados ao longo da reportagem, percebe-se que, quando as empresas decidirem contratar talentos em lugar de deficiências, elas entrarão para o melhor dos mundos. […]

 

 

 

Os posts mais visitados hoje.

  1. O que é Inclusão Escolar? (3 visitas)
  2. Mineiros com deficiência reclamam por mais audiodescrição (2 visitas)
  3. Abertura da 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. (2 visitas)
  4. Investindo em Diversidade (1 visitas)
  5. Criar uma criança surda faz o mundo soar diferente (1 visitas)
  6. Censo aponta aumento no número de servidores com deficiência no Poder Judiciário (1 visitas)
  7. Como Siri, assistente virtual da Apple, se tornou a melhor amiga de uma criança autista (1 visitas)
  8. CARTA ABERTA: O QUE O BRASIL DEVE FAZER PARA CONSTRUIR UM SISTEMA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA (1 visitas)
  9. I Encontro Nacional de Audiodescrição em Estudo (1 visitas)
  10. Ele só pode piscar os olhos e, ainda assim, dá aulas na UFJF (1 visitas)
Bengala Legal.

eXTReMe Tracker