Conteúdo principal | Últimos 20 posts | Posts por assunto | Bengala Legal

Blog do Bengala Legal.

Rio de Janeiro, quarta-feira, 22 de outubro de 2014 - 07:31.

 

Conteúdo principal.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012.

Prefeitura de São Paulo ANUNCIA serviço de Equoterapia.

Método terapêutico que utiliza o movimento do cavalo para reabilitar pessoas com comprometimento físico, psíquico e intelectual passa a ser incluído nos serviços oferecidos pela prefeitura da cidade de São Paulo.

Será inaugurado, dia 3 de fevereiro, hoje, sexta-feira, às 10 horas, o serviço de Equoterapia, oferecido gratuitamente pela Prefeitura de São Paulo. Voltado ao atendimento de pessoas com deficiência, este novo serviço é resultado da parceria entre as Secretarias Municipais da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) e da Saúde (SMS), para estabelecer convênios com instituições que adotam esse método terapêutico.

O primeiro convênio foi firmado com o Centro Social Nossa Senhora da Penha (CENHA), localizado no Tatuapé – onde será realizada a cerimônia de inauguração do serviço, que contará com a presença dos Secretários Marcos Belizário (SMPED) e Januário Montone (SMS) – e gradualmente, o serviço será ampliado para outros pontos da cidade.

Indicações.

Considerada uma das formas mais eficazes para reabilitação de pacientes com problemas motores – distrofias, esclerose múltipla, seqüelas de paralisia cerebral, AVC, entre outros – a equoterapia também traz bons resultados no aumento da autoestima, autoconfiança, qualidade de vida e sociabilização das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Até agora, todo paciente que necessitava desse recurso terapêutico tinha de recorrer obrigatoriamente a serviços privados. Estima-se que 4 mil pessoas aguardem hoje uma chance de iniciar esse tipo de tratamento.

Cerimônia de Inauguração dos Serviços de Equoterapia

Dia: 3 de fevereiro de 2012 (sexta-feira)
Horário: 10 horas
Local: Centro Social Nossa Senhora da Penha
Rua Francisco Bueno, 384, Tatuapé, São Paulo-SP.
Tel.: 3913-4070 / 4071 / 4073
Cel.: 5413-6293 / 7243-2388
smcardona@prefeitura.sp.gov.br.
sogodoy@prefeitura.sp.gov.br
claudiajesus@prefeitura.sp.gov.br

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Arquivado em: Eventos.
Assuntos:  , , , , .
MAQ às 11:05.
Post visitado 16973 vezes, 2 foram hoje.

domingo, 5 de setembro de 2010.

Cavalos ajudam no tratamento de pessoas com deficiência.

Secretaria de Comunicação do Governo do Pará.
Edna Nunes – Secom – 30/08/2010.

Desde 1993, a Polícia Militar do Pará mantém o Programa Equoterapia, dedicado à reabilitação e inclusão social de pessoas com deficiência. O programa desenvolve um método de desenvolvimento das funções psicomotoras, que tem como principal instrumento terapêutico o cavalo.

Especialistas afirmam que o cavalo é tridimensional e, ao montá-lo, a pessoa recebe todas as influências dos seus movimentos. Como resultado, terá uma gama de estímulos, semelhante a que uma pessoa realiza ao andar, o que leva à reeducação neuromuscular do praticante, estimulando a aprendizagem ou reaprendizagem da marcha.

“A reabilitação é global para uma pessoa que é tratada pelo método da equoterapia. Esse tratamento desenvolve os aspectos motores, sensoriais e cognitivos. Diante disso, estimula-se no paciente todos os seus potenciais, para aproximá-lo dos aspectos normais”, explica a terapeuta ocupacional e membro da equipe do programa Equoterapia da PM, Tatiana do Carmo. Desde abril de 1997 o método é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina e Sociedade Brasileira de Reabilitação Física.

Origem – O programa Equoterapia iniciou na PM em 1993 pelo médico veterinário coronel Edson Brito Ladislau, o primeiro oficial do órgão de segurança a fazer o curso de equoterapia na Associação Nacional de Equoterapia.

O atual responsável pelo programa na PM, o médico veterinário tenente-coronel Cláudio Polaro, informa que, cerca de quatro anos depois, o coronel Ladislau decidiu levar o serviço para o Parque de Exposição do Entroncamento, sob a responsabilidade da Associação Paraense de Equoterapia, entidade fundada pelo oficial. “Mesmo com o projeto coordenado por uma entidade civil, a PM não deixou de executá-lo nas dependências do órgão”, informa o tenente-coronel Polaro.

A equipe técnica do programa é formada por vários profissionais, como fisioterapeuta, fonoaudiólogo, pedagoga, psicólogo, instrutor de equitação, guias e médico veterinário. Para que a pessoa seja inserida no Equoterapia, é preciso que ela passe por uma equipe médica e seja encaminhada sob o aval de um neurologista.

O tratamento é complementar ao que o paciente recebe nas unidades de saúde e, se não tiver nenhuma contra indicação, a pessoa é aceita no programa. A maior demanda para o tratamento é de pessoas vítimas de paralisia cerebral, mas pacientes com síndrome de Down e Autismo também estão na lista.

Paciente – Da lista de pacientes do Equoterapia faz parte Bruno Lins, de 25 anos, que, horas depois de nascer, foi dado pelos médicos como incapaz de sobreviver por causa de uma icterícia, que provocou paralisia cerebral, prejudicando a sua coordenação motora. A descrença dos profissionais de saúde que o atenderam à época foi tanta, ao ponto de levá-los a redigir um atestado de óbito, sob a alegação de que a criança, caso reagisse, ficaria impossibilitada de ouvir, falar e andar.

Hoje, para a mãe do rapaz, Socorro Alencar, essa história faz parte do passado, apesar dos obstáculos sociais, sobretudo, por viver com limitações. Bruno conseguiu seguir adiante e graduar-se no curso de recursos humanos e ingressar no curso de educação física, da Escola Superior Madre Celeste (Esmac). Além disso, ele faz parte da equipe de atletismo paraolímpico e do hipismo do programa de Equoterapia.

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Arquivado em: Notícias.
Assuntos:  , , , , .
MAQ às 11:08.
Post visitado 18040 vezes, 1 foram hoje.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009.

Atleta com síndrome de Down Conquista o 10º Posto na Regional Metropolitana de Equitação Fundamental.

Reportagem: Redaçao Sentidos.

Claudio Aleoni Arruda, atleta com síndrome de Down, conquista o 10º posto na Regional Metropolitana de Equitação Fundamental. Apaixonado por cavalos, aprendeu
a cavalgar com o pai aos 5 anos de idade. De lá para cá nunca mais parou. Ainda criança ganhou uma égua de presente, a Borboleta, sua “professora”, com
a qual ele superou metas, medos e desafios. Depois ganhou outra égua, uma manga-larga marchadorHamamélis. Com essa, Cláudio desenvolveu habilidades inusitadas
e inesperadas. Aos 15 anos, ele entrou para a Escola de Equitação da Sociedade Hípica Paulista, iniciando uma nova etapa e disciplina, pois enfrentaria
novos desafios. Aprender a montar e a saltar.

Foram meses de muito trabalho e garra, para Cláudio adquirir postura, equilíbrio, e domínio, haja vista que cavalgar e tocar gado são etapas muito diferentes
de montar e saltar. Com muita dedicação e vontade de vencer, todo seu esforço valeu a pena. Primeiro foram as provas de salto, iniciando pelo plano, depois
as de 20 cm , e em seguida as de 40 cm. Nessa última, Cláudio foi campeão do ranking interno, na categoria sênior, em 2004. A partir daí começou uma nova
etapa: a saltar os 60 cm. Nessa prova, ele obteve várias colocações e premiações. Hoje, aos 23 anos, ele é campeão no hipismo.

Claudio treina três vezes por semana, durante uma hora As provas acontecem todos os meses na Hípica e somam pontos para o ranking final. O objetivo é cumprir
um percurso de 8 a 10 obstáculos, no qual o reconhecimento da pista é feito a pé, em um tempo desconhecido (tempo ideal que é calculado pelos dirigentes,
num percurso determinado por eles e divulgado apenas no final das provas). Vence quem não comete faltas durante o percurso e completa a prova no tempo
ideal.

Muito atencioso e bem humorado, o jovem faz amizades com facilidade e concorre de igual para igual com seus companheiros. “Neste momento, posso afirmar
que ele é incluído na Escola de Equitação sem diferenças ou privilégios”, conta a mãe Lisabeth Aleoni Arruda. O preconceito Cláudio tira de letra. “Ele
aprendeu a demonstrar que pode SER, mesmo sendo Down, e é muito respeitado, pois se faz respeitar. Sou mãe da geração estimulação precoce e de muitas batalhas
para chegar aonde chegamos. Sinto-me honrada por poder mostrar para sociedade que basta acreditar, praticando a inclusão e dando oportunidades para que
ela possa de fato acontecer.”

Claudio e sua mãe têm mais motivos para comemoração. É que o jovem cavaleiro completou dois anos de trabalho, em outubro de 2008. Contratado com registro
na carteira de trabalho pelo restaurante Applebee’s, na unidade do Shopping Morumbi, em São Paulo, trabalha na função de assistente de serviços gerais.
Ele mantém uma rotina semelhante aos milhões de trabalhadores brasileiros: acorda cedo para ir ao trabalho e só volta para casa no final do dia. “Eu ralo
muito, todo dia, ajudo todas as pessoas da equipe.”

O envolvimento de Cláudio com o hipismo está além da pratica esportiva. “Meu plano é trabalhar com a equoterapia e ajudar crianças com deficiência”, diz
o atleta.

Se depender de dedicação e experiência com certeza Cláudio realizará o seu objetivo. Antes do restaurante Applebee’s ele já trabalhou na loja Golden Horse
e nas Paraolimpíadas desportivas, organizadas pela Equoterapia da Sociedade Hípica Paulista. O evento acontece anualmente e além de participar das provas,
juntamente com outros atletas com deficiência, Cláudio sempre é convidado para trabalhar como staff – dando apoio às pessoas com necessidades especiais,
levando cadeira de rodas, cavalos e acessórios para montaria.

Claudio está saltando 0.80m no ranking da Hípica Paulista e nas provas da Fundamental da FPH. Em 2009, a expectativa é se aperfeiçoar cada vez mais. “Ele
ficará na série preliminar para tornar-se mais seguro e firme”, diz a mãe.

Facebook.Compartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Arquivado em: Notícias.
Assuntos:  , , , , , .
MAQ às 14:02.
Post visitado 15849 vezes, 1 foram hoje.

Últimos 20 posts publicados.

Saltar resumo e ir para "ESCOLHA POR ASSUNTO".

Audiodescrição, interpretação em LIBRAS e legendas nas peças em cartaz em 2014 no Oi Futuro ( Flamengo, Ipanema e Belo Horizonte). Próximo espetáculo do projeto Teatro Acessível: “A CONFERÊNCIA DOS PÁSSAROS” Dramaturgia e direção de Mauricio Grecco com Carolina Kasting, Carmen Frenzel, Julia Lund e Patrick Sampaio. 11 de outubro – sábado. Local: OI FUTURO […]

 

Marcos Venâncio Machado, no A Tarde. No mundo dos kindles e tablets, deficientes visuais estão em desvantagem. Mas uma nova ferramenta, ainda em fase de protótipo, permite ao usuário digitalizar uma linha de texto com o dedo e em seguida ouvir o áudio das frases reconhecidas. A engenhoca foi desenvolvida pelo grupo Fluid Interfaces (Interfaces […]

 

A fiscalização de pessoas com deficiência no mercado de trabalho será intensificada em 2015. O Ministério do Trabalho e Emprego – MTE vai implantar a fiscalização da substituição do empregado com deficiência ou reabilitado demitido sem a contratação previa de um substituto em condições semelhantes. De acordo com a Auditora-fiscal do Trabalho, Fernanda Maria Pessoa […]

 

Com investimento de R$ 2,7 milhões, iniciativa faz parte do edital do Ministério da Cultura para garantir maior acesso à cultura. Biblioteca Pública da Bahia está na lista das contempladas por iniciativa do MinC. Até abril de 2015, dez bibliotecas públicas no país ganharão qualificação profissional, melhorias no acervo e novas tecnologias para que sejam […]

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou nesta quinta-feira portaria do Ministério das Comunicações que obrigava as emissoras de televisão a disponibilizar, em até 11 anos, a audiodescrição em toda a programação de TV. O mecanismo seria acionado pela tecla “sap” e facilitaria o acesso de deficientes visuais ao conteúdo televisivo, por meio de narrativa descrevendo […]

 

Projeto “Teatro para Sentir” começa nesta sexta (26), no Teatro Vila Velha. Até outubro, projeto irá contar com audiodescrição e tradução em libras. O Teatro Vila Velha, em Salvador, começa a exibir a partir desta sexta-feira (26) uma série de três espetáculos acessíveis para pessoas cegas, surdas e mudas. Elaborado pelo Coletivo Diveersa, que desenvolve […]

 

O terreno irregular das crateras da lua nas pontas dos dedos, a Ursa Maior na palma da mão, a textura do centro da Terra a apenas um toque e o céu ao alcance das mãos. Em Vitória, quem não pode enxergar o céu agora pode senti-lo. O Planetário de Vitória deu início nesta segunda-feira (22) […]

 

A Anatel recebe até 8 de outubro de 2014 comentários e sugestões da sociedade em relação a documento intitulado “Discussão Prévia com a Sociedade sobre Temas Relevantes para Construção do Regulamento Geral de Acessibilidade”. Tais contribuições serão relevantes para a elaboração do Regulamento Geral de Acessibilidade em Telecomunicações. Trata-se de iniciativa que busca permitir uma […]

 

O ingresso na escola é um grande momento para as famílias. Além do início do aprendizado, representa o convívio da criança em outro ambiente, com pessoas diferentes do seu cotidiano. No entanto, quando a criança possui algum tipo de deficiência, as famílias buscam – e nem sempre encontram – instituições capacitadas para fazer o ensino […]

 

Não há razão jurídica ou econômica para que pessoas com necessidades especiais sem dinheiro não tenham transporte aéreo gratuito. Assim decidiu o juiz da 25ª Vara Cível do Distrito Federal, ao determinar que a empresa aérea Avianca disponibilize uma vaga, em até dez dias, para que um homem faça seu tratamento médico em outro estado, […]

 

Rayder Bragon. Do UOL, em Belo Horizonte. O médico e professor Vanderlei Corradini Lima, 53 anos, é portador da esclerose lateral amiotrófica (ELA), com sintomas diagnosticados em 2010. Mesmo tendo que conviver com as extremas limitações físicas impostas pela enfermidade, ele reencontrou a felicidade de continuar na profissão ao ser convidado para ministrar aulas na […]

 

“Acessibilidade não é privilégio, é direito”, diz jornalista sobre audiodescrição na TV Folha. Desde março, a jornalista Melina Cardoso se prepara para colocar em prática o aprendizado sobre acessibilidade em peças audiovisuais. Na última terça-feira (9/9), a TV Folha exibiu a primeira reportagem dela com audiodescrição e legendas, tendo como personagem o radialista Alberto Pereira, […]

 

GISELLE FERREIRA. Num quarto vazio e repleto de angústia, um homem recebe um livro. Já há algumas gerações em sua família é sabido que o livro provoca cegueira em seu leitor à medida que este avança as páginas. Sozinho e entregue, Eduardo Moscovis, 46, é o homem sem nome e sem história que compartilha, em […]

 

O W3C Brasil e o Comitê Gestor da Internet no Brasil lançam a terceira edição do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web – todos@web. O sucesso das edições anteriores foi a força impulsionadora para dar continuidade nessa ação de promover e premiar ações em favor da acessibilidade na web. A participação é muito mais do […]

 

Data: 15 e 17 de setembro de 2014. Local: Av. Marquês de São Vicente, 235, auditório do 1º. Subsolo. Barra Funda – São Paulo/SP. O evento é gratuito e aberto ao público. É possível fazer inscrição para o dia 15 ou 17 de setembro e, também, para ambos os dias. Inscrições no link: ejud2.trtsp.jus.br. Recursos de […]

 

A Anatel colocou à disposição da sociedade, para recebimento de comentários e sugestões, texto para discussão prévia sobre temas relevantes com vistas à construção do “Regulamento Geral de Acessibilidade”, por meio da Consulta Pública nº 31, de 21 de agosto de 2014. O texto completo e o resumido (com versão em libras e em áudio) do documento estão disponíveis na página […]

 

TVs por assinatura aumentam o número de programas com audiodescrição para se adequar à legislação. Uma demanda do segmento dos cegos e das pessoas com deficiência visual consumidoras de TV por assinatura começa a ser atendida pelas empresas operadoras do setor. Vários programas de TV que já eram transmitidos com audiodescrição (AD) pelo sinal aberto, […]

 

A Educação Inclusiva avança no Brasil: Cursos, livros e palestras oferecem apoios na formação de professores. Otimista com o processo da Educação Inclusiva, o especialista na área e educador Emílio Figueira fala sobre o desenvolvimento e formação de professores na contribuição de uma educação para todos. Dados recentes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de […]

 

Identificar letras e formar palavras e frases está se tornando realidade para 18 frequentadores da Associação dos Deficientes Visuais de Uberlândia (Adeviudi). A oportunidade surgiu neste ano, durante o mês de maio, quando a Secretaria Municipal de Educação (SME) implantou o projeto “Construindo cidadania, resgatando possibilidades” e disponibilizou materiais pedagógicos e profissionais para as aulas […]

 

Terceira edição do prêmio Todos@Web reconhece iniciativas que favorecem a quebra de barreiras de acesso à web por pessoas com deficiência. Se você promove um trabalho de fomento e incentivo à acessibilidade na web no Brasil, ou fez um website que não cria barreiras de acesso para pessoas com deficiência, ou desenvolveu uma aplicação que […]

 

 

 

Os posts mais visitados hoje.

  1. Hasta la Vista: Seção de Cinema com Audiodescrição. (132 visitas)
  2. Oi Futuro apresenta: Projeto Teatro Acessível (28 visitas)
  3. Pessoas com deficiência: Fiscalização será intensificada em 2015, segundo MTE (28 visitas)
  4. Cientistas desenvolvem anel que permite leitura a cegos (24 visitas)
  5. O que é Inclusão Escolar? (17 visitas)
  6. Deficiente visual tem isenção de ICMS na aquisição de veículo zero quilômetro. (15 visitas)
  7. Audiodescrição e a eterna discussão com a ABERT. (10 visitas)
  8. Vestido de Homem-Aranha, bombeiro salva menino com autismo. (10 visitas)
  9. Manifestação Pública - Contra a flexibilização da "Lei de Cotas". (8 visitas)
  10. Curso: Gestão de Ambientes Culturais Inclusivos. (8 visitas)
Bengala Legal.

eXTReMe Tracker